quinta-feira, 23 de junho de 2016

Como ler artigos científicos em inglês

Aviso: se você é um leitor fluente em inglês, este post não é para você.
Este post é para quem arranha algumas coisas de inglês, até curte umas músicas estrangeiras, mas entra em pânico quando o desafio é ler um artigo acadêmico inteiro (14 páginas!!! =O ) no idioma da rainha.

-------

A maior parte da literatura acadêmica é em inglês, especialmente na área de Sistemas de Informação. Infelizmente (para nós, brasileiros). But, deal with it (em bom português: aceita que dói menos..rss..). Em algumas áreas de estudo, além do inglês, pode ser relevante ler em francês, alemão, russo, etc. Mas, vamos por partes.

A primeira estratégia para lidar com um artigo em inglês é recorrer a algum programa tradutor e traduzir o artigo inteiro (colando o texto no Google Translator, por exemplo). Válido? Com certeza! O problema é que a tradução nem sempre é condizente com o texto: já vi gente ter mais trabalho tentando entender a salada traduzida do que teria com o texto original. Além disto, sempre recorrer a tradutores, diretamente, para todo o texto, pode complicar sua vida no momento de um teste de proficiência no idioma, por exemplo, porque você não está familiarizado com a leitura.

Então, sugiro uma estratégia para te ajudar com os textos em inglês. Não é solução mágica. Mas pode ser um pontapé para o aprendizado.

Passos para ler artigo científico em inglês se você não sabe inglês

  • Crie um novo arquivo de texto para a tradução. Pode ser no word, no caderno, no bloco de notas, num anexo do pdf. Você escolhe;
  • Quando começar a ler o artigo, tente entender (traduzindo mesmo, com dicionário, programa, tradutor do Google) o resumo e o título. Se mesmo depois de traduzido não der para captar a ideia geral, não entre em pânico: siga adiante;
  • Escreva a tradução do nome das seções que compõem o artigo. Embora os títulos das seções de artigos no Brasil normalmente sigam o padrão "Referencial, Metodologia, blá blá", nos artigos internacionais este título costuma ser significativo: está relacionado ao conteúdo mesmo. Então, fazendo um "índice traduzido" do texto dá pra ter uma ideia do que vem por aí. Quando tem muita leitura pra fazer, só essa ideia às vezes já é suficiente pra contribuir numa aula;
  • O mesmo que você fez com o resumo (traduzir e tentar entender), faça nas conclusões;
  • Depois, comece a leitura do texto em si, mas de maneira "preguiçosa": a ideia é só criar uma frase (ou poucas frases) para cada título de seção, sem ler tudo. Entendeu o significado do título da seção? Passa para a próxima!
  • Se o material tiver esquemas, quadros, tente capturar a ideia geral, lendo o texto um pouco acima ou abaixo deles, e as legendas;
  • Finalmente, você volta naquilo que te chamou a atenção (ou que é mais importante no momento) e leia a seção inteira. Daí vá "recheando" mais o esboço que você já tem

A ideia é fazer isso por pedaços: hoje você pode só identificar os títulos, amanhã elaborar as frases para cada seção e daí por diante. A gente cansa mais rápido quando lê em inglês.

Segue um exemplo de tradução que fiz. Para quem não leu o original, a tradução pode não ficar tão clara, mas para mim, foi o suficiente para compreender o conteúdo geral do texto.


Tradução "esquematizada" - Linda Argote
Artigo original: ARGOTE, Linda. Organizational learning research: Past, present and future.Management learning, v. 42, n. 4, p. 439-446, 2011.


Em tempo: deve haver trocentas técnicas para leitura em inglês. Inclusive isto que falei aqui pode ser uma técnica com nome e sobrenome. Se sim, me conta! O tempo está bem curto, então pulei esta parte da pesquisa: a sequência que mostrei aqui é a que acabei criando sem querer, depois de muito bater cabeça no começo do 2º semestre do mestrado.


E você? Que estratégias usa?

2 comentários:

  1. Muito obrigado... Me identifiquei com o texto e vou usar essa técnica. Pois a quantidade de leitura que me é exigida está sendo maior que minha capacidade de ler em inglês.

    ResponderExcluir
  2. Olá. Sua postagem me ajudou bastante a sistematizar meus estudos. Tinha muita preguiça de ler artigos em inglês. Agora ficou um pouco mais prático e fácil. Parabéns.

    ResponderExcluir